O Sindicato dos Metalúrgicos de São Paulo realizou nesta segunda-feira, 15 de setembro, a primeira grande manifestação de mobilização da Campanha Salarial 2014.

O ato foi realizado na zona norte da capital, bairro do Jaçanã, e foi o primeiro de vários que serão realizados ao longo da campanha. A segunda manifestação será nesta terça-feira (16), na zona oeste.

A ação visa mobilizar a categoria na luta pela reposição das perdas, aumento real (acima da inflação), garantia das cláusulas sociais da Convenção Coletiva de Trabalho, ampliação dos benefícios, e pressionar os patrões a abrir as negociações.

A manifestação na zona norte aconteceu em frente à Metalúrgica Aliança, reuniu cerca de 1.200 trabalhadores de várias fábricas da região e teve como responsáveis pela mobilização os diretores Adnaldo, Germano, Maloca, Curió, Alsira e Chico Pança.

 “Temos uma grande luta pela frente, para renovar e ampliar nossas cláusulas sociais e conquistar o aumento salarial, Não vamos esperar chegar na data-base – 1º de novembro – pra se mexer.  Vamos mostrar que os trabalhadores não estão pra brincadeira”, afirmou o presidente do Sindicato e da CNTM/Força Sindical Miguel Torres.

Segundo Miguel, é sabido que há problemas na produção, na política, mas essa conta não vai ser paga pelos os trabalhadores. “Queremos que o país cresça, que se desenvolva, mas queremos também salários dignos, direitos, garantias sociais. O governo está segurando os preços da energia, dos combustíveis, da telefonia e uma hora isso vai ter ajustes e a inflação vai passar dos 10%, por isso temos que fazer uma campanha forte, para melhorarmos os nossos salários e a economia, pois só com economia forte vamos avançar”, disse.

O secretário-geral, Arakém, foi firme ao dizer aos trabalhadores que “a hora é agora. Não podemos vacilar! A diretoria do Sindicato, junto com vocês, tem uma grande responsabilidade, de fechar esta campanha com vitória”.

No final, Miguel Torres, disse que o comando de negociação vai esgotar todas as possibilidades de negociação, e propôs que se o patronato não der aumento real a categoria irá à greve. A proposta foi aprovada por unanimidade.
MIGUELMIOLO

Próximas manifestações

Dia 16 (3ª feira) – Zona Oeste
Manifestação em frente à Alstom, na Av. Raimundo Pereira de Magalhães, 220, Pirituba

Dia 17 (4ª feira) – Zona Sul
Avenida Nações Unidas, altura do nº 22.002, no canteiro central, em frente à MWM

Dia 18 (5ª feira) – Zona Leste
Praça Lorenzetti (Ilha do Sapo), Mooca

Dia 22 (2ª feira) – Zona Leste
Parque São Lourenço, esquina das ruas Forte do Araxá e Forte dos Franceses, São Mateus

Dia 26 (6ª feira) – Mogi das Cruzes
Rua Tenente Onofre Rodrigues de Aguiar, alt. nº 200, Vila Industrial