Estiveram reunidos hoje, 08, na sede da Federação dos Metalúrgicos do Estado de São Paulo, mais três Grupos Patronais com a bancada dos trabalhadores. Pela manhã, às 10 horas, o Grupo XIX-III e, às 11 horas, o Grupo das Estamparias. No período da tarde, o Sindicato Patronal que representa os fabricantes de Máquinas esteve presente. Ainda em um momento de assegurar a data base, a bancada dos trabalhadores não ouviu nada de novo por parte dos sindicatos patronais. Os argumentos de crise, baixa produtividade, a necessidade de cortar gastos e os índices econômicos cada vez mais retraídos têm sido a tônica das colocações dos patrões. Por outro lado, a Federação tem mantido sua posição clara de que não podemos discutir a crise apenas com os custos nas costas dos trabalhadores e que não aceitará nenhuma proposta de reajuste salarial que não possua aumento real. Claudio Magrão, Presidente da Federação, insistiu que a única maneira de enfrentarmos qualquer crise é com a manutenção do poder de compra dos trabalhadores e disse ainda “Não podemos deixar que a categoria metalúrgica do Estado de São Paulo arque com a incompetência de políticas econômicas equivocadas seja por parte do governo, seja por parte dos patrões”. A mobilização continua e novas datas de reuniões foram definidas.