Licença maternidade de seis meses (na lei são 4 meses), adicional noturno de 35% (na lei são só 20%), estabilidade para vítimas de doença ocupacional de 33 meses (na lei são 12 meses). Esses são alguns exemplos do quão valiosa é a nossa Convenção Coletiva. Pensar em ficar sem ela é pensar em ter direitos rebaixados e precarizados pelas mudanças impostas pela reforma trabalhista. Por isso, temos feito um grande esforço para informar o maior número de trabalhadores possível nas portas de fábrica.

Mas isso não basta. Também temos feito todos os sábados seminários com os companheiros e as companheiras que trabalham em cada uma das 12 cidades da nossa base territorial. Mas isso também não basta. É necessário que cada um de vocês se torne multiplicador, uma voz dentro das fábricas para sensibilizar e engajar mais e mais companheiros na luta.

É importante também destacar que se temos tantas vantagens em relação à lei é porque lutamos até conquistá-las. E para isso foi e é fundamental a existência de um Sindicato forte, representativo e atuante, como é o nosso. É preciso repetir: a nossa Convenção é um acordo negociado pelo nosso Sindicato em conjunto com os demais filiados à Federação dos Metalúrgicos do Estado de São Paulo. Não é um benefício concedido pela empresa. Por isso, também fazemos o chamado a sindicalização. Fortaleça a luta! Lute por seus Direitos! Vem para o Sindicato!

Jorge Nazareno

Presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de Osasco e Região