Com presenças do presidente da CNTM (Confederação Nacional dos Trabalhadores Metalúrgicos) e do Sindicato dos Metalúrgicos de São Paulo, Miguel Torres, vice-presidente da Força Sindical, do presidente da Federação dos Metalúrgicos do Estado de SP, Eliseu Silva Costa, e do deputado federal Paulinho, presidente da Força Sindical, ocorreu nesta terça, 30, uma reunião com dirigentes metalúrgicos paulistas.

O objetivo da reunião, realizada em São Paulo na sede da Federação, foi debater a situação do movimento sindical dentro do contexto da reforma trabalhista e defender a continuidade das ações de resistência da categoria metalúrgica contra os ataques aos direitos sociais, trabalhistas e previdenciários da classe trabalhadora.

Miguel Torres expôs como a CNTM tem debatido a questão junto com os filiados (Federações e Sindicatos) e as orientações dadas para garantir as contribuições e a renovação das convenções coletivas. “A via judicial é uma alternativa e há muitos processos nos tribunais. Temos que batalhar, se a gente não se unir, se não formos solidários nas ações, vamos enfrentar mais dificuldades”.

Há uma corrente de empresários que quer aprofundar a reforma trabalhista e está se articulando para tirar mais pontos da legislação para deixar o capital e o trabalho somente na base da negociação. “A reforma da Previdência é outra que não podemos permitir que seja aprovada”, afirmou Miguel Torres.

“Nunca sofrermos tanta intervenção na estrutura sindical. Nem na ditadura isso aconteceu. Estamos trabalhando esta questão no Congresso Nacional, mas está muito difícil aprovar ou derrubar alguma medida. Temos que trabalhar para mudar isto nas eleições e corrigir estas questões que afetam os trabalhadores”, afirmou Paulinho da Força.

Fonte : CNTM