Sexta, dia 30, o Sindicato dos Metalúrgicos de Guarulhos e Região concede entrevista coletiva à imprensa para divulgar os números referentes ao ano de 2014. Na ocasião, lançaremos o “Guia de Conquistas”, sétima versão, com o apanhado dos principais ganhos, avanços e ações sindicais.

Antecipo alguns números, dados e ações, que, a meu ver, sintetizam o que de melhor fizemos pela categoria em 2014, um ano de desaquecimento da economia e de forte disputa política.

. Salário – Fechamos a 11ª negociação coletiva com aumento real. Em 11 anos, a inflação pelo INPC foi de 79,29%; o reajuste somou 141,48%, o que dá ganho real de 34,69% para a categoria.

. Massa salarial – Segundo o Dieese, chegará a R$ 176.291.967,06 a massa salarial dos metalúrgicos em março.

. Média – A média salarial do metalúrgico chega a 3.387,75.

. Abonos – Em 2014, mais uma vez, negociamos abono salarial para toda a base. Os abonos somam R$ 31 milhões.

. PLR – Ampliamos o pagamento da Participação nos Lucros e/ou Resultados. Hoje, 95% dos metalúrgicos já recebem o benefício. O valor, total, da PLR é crescente.

. Fábricas – O Sindicato atuou cotidianamente na base, por ganhos e melhorias. Cito três, entre várias: NCO (Cumbica), o trabalhador passou a dispor de restaurante, livrando-se da marmita; na Cummins, a PLR subiu 8% e pode passar de R$ 8 mil; na U-Shin (ex-Valeo), reduzimos a jornada para 40 horas semanais.

. Social – O Instituto Cultural e Esportivo Meu Futuro consolidou seu trabalho, recebeu prêmios e encaminhou jovens (após os 16 anos) ao mercado de trabalho. Só a Flexform contratou 12. O Programa de Apoio Psicoprofissional para Desempregados retomou cursos e palestras.

. Bairros – Pressão do Sindicato, com apoio do vereador Heleno Metalúrgico, conseguiu asfaltar o acesso ao Clube de Campo (rua Cedibra). Obtivemos melhorias em outros bairros.

. Imprensa – A coletiva de sexta visa difundir para o conjunto da sociedade as ações e ganhos metalúrgicos de 2014. Com a coletiva, nosso Sindicato reafirma o reconhecimento ao trabalho da imprensa, respeitando a linha editorial de cada veículo.

Uma questão – O novo slogan do governo é “Brasil, Pátria Educadora”. Mas o Piso do Professor, apesar de vir subindo acima da inflação, ainda é muito baixo: R$ 1.917,78. Já um juiz tem Piso de R$ 24 mil, mais auxílio-moradia de R$ 4.300,00. Se é o professor que forma o juiz, não seria justo o professor ter um salário à altura? Ou vamos ficar só no discurso?

 

José Pereira dos Santos, presidente

 

E-mail: pereira@metalurgico.org.br

Face: www.facebook.com/PereiraMetalurgico