Os trabalhadores da Valtra de Mogi das Cruzes decidiram nesta quinta, 2 de agosto, continuar com a greve iniciada ontem para pressionar a empresa a cumprir o acordo de Participação nos Lucros ou Resultados (PLR).

Depois da assembleia, que hoje foi realizada na rua, pois os portões da empresa estavam fechados, cerca de 300 trabalhadores fizeram uma passeata de protesto, saindo da Valtra, Rua do Agricultor, 51, Braz Cubas, até o centro de Mogi das Cruzes.

A greve só terminará quando a empresa voltar a conversar com o Sindicato em busca de uma solução que garanta o pagamento integral do benefício aos trabalhadores e trabalhadoras. A Valtra pagou apenas parte da primeira parcela no dia 31 de julho.

Jorge Carlos de Morais, o Arakém, secretário-geral do Sindicato dos Metalúrgicos de São Paulo e Mogi das Cruzes, que coordena a mobilização, informa que nesta sexta, às 9h, haverá uma nova assembleia na empresa para avaliação do movimento. Os diretores Rodrigo de Morais e Ester também participaram hoje das ações.

A Valtra produz tratores e máquinas agrícolas e emprega cerca de 900 trabalhadores.

ENVIE SEUS COMENTÁRIOS