Lideranças sindicais de Suzano realizaram, nesta segunda-feira (19/02) pela manhã, uma manifestação pelas principais ruas da cidade como forma de protesto contra a proposta de Reforma da Previdência, encabeçada pelo Governo Federal. O grupo iniciou o ato público bem cedo, às 5 horas da madrugada, com um trabalho de panfletagem na Estação Ferroviária de Suzano. Depois, durante a manhã, todos se concentraram na Praça os Expedicionários e percorreram o Centro informando a população sobre o que pode acontecer caso a proposta seja aprovada.

 

O presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de Suzano, Pedro Benites, disse que o projeto tem como objetivo acabar com a aposentadoria dos brasileiros: “Se essa proposta passar, os trabalhadores acabarão morrendo antes de se aposentar. Querem empurrar para os trabalhadores, que carregam o Brasil nas costas, a conta de uma Previdência Social cheia de privilégios e de dívidas com grandes empresas que nunca foram cobradas”, disse Benites, lembrando que também participam do ato público, além dos metalúrgicos, a Apeoesp e os Sindicatos dos Papeleiros, Servidores Municipais, Refeições Coletivas e Construção Civil.

 

As lideranças sindicais entendem que a pressão popular tem surtido efeitos positivos, pois o Governo Federal já deu sinais de recuo na Reforma da Previdência. A manifestação desta segunda-feira aconteceu em todo o Brasil e mobilizou sindicatos de várias categorias, em diversas cidades – principalmente nas capitais. Além disso, o Governo Federal vem fazendo as contas sobre o número mínimo de votos necessários para que a reforma seja aprovada na Câmara dos Deputados e não há certeza de que haverá maioria para isso.

 

Os organizadores do ato de Suzano lembram que o movimento popular contra a Reforma da Previdência Social continuará atento às movimentações do Governo Federal e só ficará tranquilo quando a proposta for retirada ou derrubada de forma definitiva.

Fonte: Sindicato dos Metalúrgicos de Suzano