Depois das assembleias nas portas de fábrica, os diretores e as diretoras do Sindicato dos Metalúrgicos de São Paulo e Mogi das Cruzes, com suas equipes e trabalhadores(as) metalúrgicos, participaram do protesto das centrais sindicais em São Paulo na avenida Paulista, em frente à Fiesp.

Miguel Torres, presidente interino da Força Sindical e presidente do Sindicato e da CNTM, explicou à população os motivos deste 10 de Agosto, Dia Nacional em Defesa dos Empregos, da Aposentadoria e dos Direitos da Classe trabalhadora.

“Não dá pra aguentar o alto índice de desemprego, a corrupção na política e ver tanta gente na rua da amargura. Este ato, em frente à Fiesp, símbolo do capitalismo e da reforma trabalhista, é portanto muito significativo para demonstrar a indignação do movimento sindical e da classe trabalhadora perante a crise, o desemprego, o ataque aos direitos e a falta de perspectiva”, diz Miguel Torres.

Para Miguel Torres é preciso que sejam eleitos em outubro governantes e parlamentares comprometidos com os interesses dos trabalhadores, mas também não podem ser reeleitos os traidores, os que votaram a favor da reforma trabalhista. “Só assim iremos dar uma virada e fazer o Brasil voltar a crescer e a gerar emprego”.

Val Gomes

Foto: Jaelcio Santana